Consumo em VV pode ultrapassar R$ 1,6 bilhão

Por em 30/01/12
Bebida e alimentação consomem 17% da renda da classe média canela verde

Bebida e alimentação, item importante de consumo

O volume do consumo em Vila Velha pode ultrapassar R$ 1,6 bilhão, segundo dados do IPC Marketing, que é especializado em medir o potencial de consumo dos municípios e os hábitos desenvolvidos pelas classes C, D e E na hora de consumir. Vila Velha é, segundo o instituto, o município com maior potencial de consumo no Espírito Santo, representando um terço de toda a movimentação no Estado. No total, em todo o país, o valor que os brasileiros irão gastar consumindo superam os R$ 2,5 trilhões.

A maior concentração deste consumo, de acordo com os dados do IPC, se dá na chamada nova classe média que, sozinha, é responsável por mais de 53% de toda movimentação de compras no Brasil. Para efeitos estatísticos, o IPC e outros institutos consideram que a chamada classe C como a nova classe média brasileira. Neste caso, somente a nova classe média de Vila Velha seria responsável pela movimentação de mais de R$ 860 milhões em consumo.

Os dados levantados pelo IPC, que são baseados em informações colhidas dos mais de cinco mil municípios do Brasil, indicam que se juntarmos as classes C, D e E teremos concentrados nelas 88,7 da população de Vila Velha, com os restantes 11,3% nas classes A e B. Em termos de rendimentos, a maior parte da população ganha até R$ 2.012,67, que é o topo do salário recebido por um integrante da classe C. No caso de Vila Velha, as  classes C, D e E representam mais de 368 mil pessoas.

Um outro dado do IPC é o relativo à população economicamente ativa. Para o instituto, 46,5% desta população está na faixa de 20 a 49 anos, o que representa praticamente metade dos moradores de Vila Velha. Outros 20,5% tem mais de 50 anos. Nestes dois segmentos populacionais é que se concentra o consumo dos canelas verdes que, neste ano, vão gastar 26,4% do que ganham na manutenção do lar – impostos, taxas, aluguéis, etc. A alimentação e as bebidas irão consumir outros 17,1%.

Os principais itens de consumo das classes C, D e E, de acordo com os dados do IPC Marketing, são manutenção do lar, alimentos e bebidas, higiene, cosméticos e saúde, transportes, vestuário e calçados e recreação. Para esta são destinados apenas 3% de todo o rendimento familiar, o que parece pouco, mas que, em consumo, representa R$ 480 milhões com lazer. O maior potencial de consumo do Brasil está na região Sudeste. Sozinha, ela é responsável por mais de 54% de todo o consumo no Brasil e o Espírito Santo representa 3,4% deste potencial, dentro de sua região.

Você deve se logar para comentar Login