Mulheres são campeãs de abstinência em VV

Por em 03/08/12
Guia de Vila Velha - As mulheres canelas verdes são campeãs de abstinência no caso das bebidas

Bebidas: Consumo das mulheres é menor que dos homens

As mulheres são as campeãs de abstinência em Vila Velha, com 59% delas afirmando que não bebem nenhum tipo de bebida alcoólica. Mesmo entre os que afirmam consumir bebidas, elas o fazem mais levemente. Enquanto na média entre os homens que bebem 27% tomam de cinco a 11 doses, as mulheres, na mesma situação, são apenas 14%, um pouco mais da metade do número de bebedores do sexo masculino. Os dados são da pesquisa sobre consumo de drogas feita pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Quando se trata de frequência, o número de mulheres que bebem ainda é menor. Enquanto 28% dos homens afirmam que recorrem à bebida, apenas 11% das mulheres o fazem. No ranking dos bebedores, ainda de acordo com a pesquisa, quem em em primeiro lugar são os integrantes da classe B. O segundo lugar é dividido por quem pertence às classes A e C. O terceiro lugar fica com a classe D e, dentre os segmentos que compõem a pirâmide social, quem menos bebe são os homens e mulheres da classe E. A pesquis mostra que quem tem melhor condição de vida bebe mais do que quem é mais pobre.

Já no caso dos adolescentes – homens e mulheres – de Vila Velha, os números mostram que bebem mais que os adultos e também começaram mais cedo na bebida. Apesar disso, o índice de abstinência – ou daqueles que declararam que não bebem – é muito superior aos que costumeiramente ingerem álcool, chegando a 64% do total, no caso do município. De um modo geral, considerando tota a população do município, 48% afirmam que não tomam bebidas alcoólicas.

Entre os que afirmam não beber, o maior número é de mulheres. Do total existente no município – e elas são a maioria da população – 59% afirmam que não bebem. No caso dos homens, este índice cai para 33%, mostrando que dois terços deles tomam algum tipo de bebida que contem álcool, mas somente uma minoria é que bebe com maior frequência. Chamada de droga lícita, em contraste, por exemplo, com a maconha, que é proibida, as bebidas são consumidas em larga escala e são livremente promovidas em campanhas publicitárias.

Você deve se logar para comentar Login